Header Ads

Rede Record comemora 59 anos nesta quinta-feira


NT

A Record está comemorando nesta quinta-feira (27) mais um aniversário. A emissora completa 59 anos e mais uma vez reafirma o título de canal mais antigo do Brasil ainda em funcionamento.

Junto ao canal, também estão de aniversário a Record News (cinco anos) e o portal R7 (três).

Inaugurada em 1953, a Record acompanhou o crescimento e a queda de concorrentes importantes como a TV Tupi, Excelsior e Manchete. Ao mesmo tempo, também estava presente na inauguração de suas principais rivais, a Rede Globo e o SBT, detentores da primeira e da terceira colocação respectivamente.

Durante boa parte da gestão de Edir Macedo, que comprou a emissora de Paulo Machado de Carvalho Filho e Silvio Santos no começo dos anos 90, a Record voltou sua grade para as camadas mais baixas da população.

Atrações de auditório, jornalismo, eventos esportivos e novelas foram algumas das principais marcas da emissora no decorrer das duas últimas décadas. Passaram pelo canal profissionais como Raul Gil, Ratinho, Ana Maria Braga, Gilberto Barros, Eliana, José Luiz Datena, Netinho de Paula, entre outros.

Desde 2004, a Record iniciou uma nova etapa em sua programação. Com um caixa mais forte, impulsionado pelos investimentos de seu dono Edir Macedo, a meta da emissora passou a ser o primeiro lugar, que é de posse da Globo desde alguns anos antes da queda da TV Tupi.

Autores, técnicos, jornalistas e apresentadores foram contratados com salários que chegavam ao triplo da média de mercado. Mário Prata, Marcílio Moraes e Letícia Dornelles, Vivian de Oliveira e o diretor João Camargo foram os primeiros a chegar ao segmento de dramaturgia.

Também houve as contratações de Celso Freitas, Marcelo Rezende, Paulo Henrique Amorim, Tiago Santiago, Lauro César Muniz, Herval Rossano, Tom Cavalcante, Ana Hickmann, Patrícia Maldonado, Margareth Boury, Alexandre Avancini, Edson Spinello, Edgard Miranda e atores de peso como Paloma Duarte, Gabriel Braga Nunes, Marcelo Serrado, Lucinha Lins, Jussara Freire, entre outros.

Já na linha de shows, a Record deixou de contar com Adriane Galisteu, que se mudou para o SBT e posteriormente para a Band. Entretanto foram feitas apostas em formatos prontos, como "O Aprendiz", de Roberto Justus. O formato trouxe prestígio e audiência para as noites da emissora. Também houve a aquisição de "A Fazenda", responsável por picos de 32 pontos em uma de suas finais. "Ídolos", vindo do SBT, e "Troca de Família" também reforçaram este setor.

Porém, a ausência de planejamento em algumas áreas fez com que a Record regredisse na dramaturgia. O terceiro horário, de "Alta Estação", foi extinto e substituído por enlatados como a colombiana "Zorro - A Espada e a Rosa" e "A Turma do Pica Pau".
Em 2007, a Record deu mais um passo rumo a consolidação de seu departamento esportivo com a cobertura dos Jogos Pan Americanos no Rio de Janeiro, evento o qual compartilhou com a Globo e a Band. Em 2011, foi a vez da emissora transmitir os Jogos Pan Americanos de Guadalajara, com exclusividade total, e em 2012, pela primeira vez, as Olimpíadas - também com total exclusividade.

No ano de 2009, a Record passou por sua maior crise desde o início de seus investimentos. Neste ano a emissora teve duras baixas, perdendo Roberto Justus, Eliana, Roberto Cabrini, entre outros profissionais e técnicos para o SBT. Os desfalques atingiram os mais diversos setores da programação e prejudicaram alguns projetos, como o da dramaturgia.

Em paralelo ao ano de dificuldades, a Record buscava compensar as perdas com a chegada de Gugu Liberato, Ana Paula Padrão e Mylena Ciribelli.

Em 2011, a Record reativou seu segundo horário de dramaturgia e recontratou Roberto Justus. Houve ainda recontratação de José Luiz Datena, que havia assinado contrato de cinco anos mas que voltou à Band em menos de dois meses.

Por fim, em 2012, a emissora atravessa por uma nova crise. "Máscaras", substituta de "Vidas em Jogo", não emplacou no Ibope e a segunda temporada de "Rebelde", grande sucesso de vendas mas que nunca chegou a empolgar com seus números de audiência, fizeram com que a emissora se enfraquecesse.

Atrações como as da linha de shows perderam força, já que deixaram de ser impulsionadas por um produto forte. Ao mesmo tempo, "Rebelde" não se estabelecia em um horário fixo devido às inúmeras tentativas da emissora de reanimá-la. Em paralelo aos problemas da própria dramaturgia, a Record viu o SBT renascer no setor com "Carrossel", que triplicou a audiência do horário e impulsionou o resto da programação noturna.

A situação crítica da Record teve como auge em junho e julho. No mês de junho, Ignácio Coqueiro deixou a direção-geral de Máscaras junto com parte de sua equipe e foi trocado por Edgard Miranda, que veio de bons trabalhos como "Prova de Amor", "Chamas da Vida" e "Ribeirão do Tempo". Já em julho foi a vez do comando do RecNov ser trocado. Hiran Silveira, que era responsável pelo setor desde o seu início, em 2004, foi substituído por Anderson de Souza e Marcelo Silva.

Uma sensível melhora é perceptível nos bastidores da Record com os investimentos feitos nos últimos meses. A emissora revitalizou a faixa da tarde com o novo "Programa da Tarde", alvo de investimentos de R$ 10 milhões. A faixa do almoço também foi reformulada com o novo "Balanço Geral".

O principal destaque no ramo das contratações deste ano é Carlos Lombardi. O autor deixou a Globo após 31 anos para ingressar no time de novelistas da Record. Ele assumirá a novela que sucederá "Balacobaco", de Gisele Joras e que começa na próxima semana.
Tecnologia do Blogger.