Header Ads

Record aposta em mais um épico bíblico


F5

Ângelo Paes Leme em "José do Egito"
Palco de violentos protestos políticos, que se iniciaram há dois anos, como parte da chamada Primavera Árabe, o Egito se transformará a partir de quarta-feira (30) em cenário de uma nova série bíblica da Record.

Quarta incursão da emissora do bispo Edir Macedo em histórias do Antigo Testamento, "José do Egito" tem por foco central a vida de José, o filho mais novo do patriarca judeu Abraão.
Alvo da inveja dos irmãos, José é vendido como escravo, mas cai nas graças do faraó, se tornando governador do reino por causa do seu dom de interpretar sonhos.

"Desde menina sempre gostei de épicos. Hollywood mesmo já adaptou várias histórias da Bíblia. E, agora, estão voltando ao filão, com o filme sobre arca de Noé", diz a autora Vivian de Oliveira, referindo-se ao novo filme de Darren Aronofsky, diretor de "Cisne Negro" (2010).

Ela --que também adaptou "A História de Ester" (2010) e "Rei Davi" (2012) para a Record-- refuta a intenção evangelizadora das produções.

"A intenção não é essa, mas é claro que transmite fé", diz a escritora, frequentadora da igreja Batista.

INTERNACIONAL

"José do Egito" irá ao ar semanalmente, todas as quartas-feiras, às 21h30, durante seis meses.

A estratégia da Record é se colocar como alternativa ao futebol tradicionalmente transmitido pela Globo.

"Uma grande crítica às outras minisséries era o horário de exibição, depois das 23h, que era muito tarde", diz o diretor Alexandre Avancini.

À frente do projeto, orçado em R$ 22,1 milhões --R$ 850 mil por episódio--, ele viajou para o Egito em agosto do ano passado, onde captou imagens das famosas pirâmides e do rio Nilo.

Para circular pelo país, que vivia forte ebulição política, teve de contar com a proteção de três seguranças armados.

A série também teve cenas rodadas em Israel e em Madre de Deus, no interior de Minas Gerais.

Foi a primeira vez em que a Record levou quase a totalidade do elenco para gravar em outro país, durante um mês, no deserto do Atacama, no Chile.

A locação servirá para reproduzir, em cena, o deserto egípcio.

Além disso, duas cidades cenográficas foram construídas na zona oeste do Rio, reproduzindo palácios e antigos templos, com altura superior a 15 m.

Sergio Penna, preparador de atores de filmes como "Carandiru" (2003), acompanhou o trabalho dos atores.

Nem estreou "José do Egito" e a Record já anunciou a realização de novas séries bíblicas, uma sobre Moisés e os dez mandamentos e outra da vida de Jesus. Vivian de Oliveira será a responsável pelo texto dos projetos.

NA TV
José do Egito
Estreia da série da Record
QUANDO quarta-feira, 21h30
CLASSIFICAÇÃO não informada
Tecnologia do Blogger.