Header Ads

'Roberto Justus +' comemora dois anos no ar com retrospectiva de entrevistas célebres

F5

O programa "Roberto Justus +" (Record) comemorou a sua centésima edição na noite desta segunda-feira (7).

Para tal, Justus reuniu flashes de celebridades que entrevistou ao logo desses dois anos de programa. O jogador Ronaldo Nazário foi o primeiro a aparecer na festa. Em 19/03/2012 o ex-jogador de futebol esteve lá profetizando sobre a Copa do Mundo no Brasil: "A minha missão é fazer com que o brasileiro acredite na potencialidade dele. A única certeza absoluta que nós temos é que nós vamos ter estádios. Do jeito brasileiro, mas vai acontecer e vai ser o maior sucesso!", afirmou Ronaldo.

Já o atual craque Neymar Jr. desconversava sobre deixar o Brasil para jogar lá fora. "Não precisa sair daqui para ser o melhor do mundo. Eu não jogo para ser o melhor do mundo, eu jogo para ajudar a minha equipe, para ajudar a seleção brasileira", afirmou Neymar na entrevista ao "Roberto Justus +" de 7/05/2012. "Um protesto a fazer", observou Justus, "ele já tinha assinado o contrato com o Barcelona nessa época. Ou o pré-contrato, então ele fez uma mediazinha com o povo brasileiro", concluiu o apresentador.

Na sequência desfilaram o ex-jogador de futebol Raí, a ginasta Daiane dos Santos e o ex-piloto Emerson Fittipaldi, que salientou que quem quer estar entre os melhores do mundo deve ter quatro elementos importantes: o físico, a mente, o coração e o espírito. "A tal da 'Inteligência Emocional' nada mais é do que você saber equilibrar esses elementos", concordou Justus.

O cineasta Fernando Meirelles ("Cidade de Deus") confessou que já foi convidado até para dirigir filmes de James Bond e a famosa série "Crepúsculo". "Você não quis?", questionou intrigado o apresentador. "Não", respondeu tranquilamente o cineasta. "Porque quando você entra num esquema de estúdio desses você fica na mão dos caras, quem manda é o marketing!", argumentou.

O também cineasta Carlos Saldanha ("Rio") apareceu por lá, assim como a modelo Ana Beatriz Barros e o criador do Instagram Mike Krieger – cujo objetivo era ajudar as pessoas a comunicarem as suas histórias para o resto do mundo. "Essas são pessoas que realmente fazem história e mostram a versatilidade dos brasileiros", declarou Roberto Justus.

O apresentador destacou ainda algumas entrevistas em que a temperatura subiu. Uma das mais calientes talvez tenha sido a de Danilo Gentili, que defendia a liberdade de expressão no humor. "Aí pode ter erro de interpretação, acontece muito hoje", observou o comediante. "Se você coloca a palavra macaco na mesma frase que negro, ninguém quer ler o resto – só leram "negro", "macaco" – pronto: racista!". E cutucou o apresentador sem querer na continuação do seu discurso.

"Se eu colocar a palavra "judeu" e "holocausto", não interessa o resto – é desgraçado nazista, vamos acabar com ele! As vezes falta a boa vontade de interpretar", conclui Gentili. Justus discorda veementemente, e aproveita para lhe fazer uma confissão: "Eu vou te dizer, eu não sou muito ligado em religião mas sou de origem judaica – e eu deixei de ir à estreia do seu programa por causa de uma piada sua sobre judeu!". Danilo rebateu com outros argumentos, Justus não os recebeu muito bem e a entrevista virou uma discussão acalorada.

Outro momento bastante acalorado o apresentador teve com a presença das belas Bruna Lombardi, Cristiane Arcangeli e Ana Paula Padrão. As três mulheres defendiam uma postura de total independência da mulher, quando Justus atribuiu esta postura a uma bela teoria, mas que na prática não era bem assim. Ana Paula foi quem mais o enfrentou quando Roberto lhe perguntou diretamente: "Você não gosta de proteção?". Ao que Padrão respondeu sem titubear: "Tanto quanto gosto de proteger! Eu gosto de amor, de cumplicidade. Agora, eu não sou regra!", afirmou categoricamente a jornalista. "Com certeza não é!", retrucou Justus.

O eterno príncipe Ronnie Von fez declarações secretas e divertidas, o rei dos quadrinhos Mauricio de Sousa falou sobre a educação, e Maria da Penha reavivou o motivo pelo qual foi criada a lei com o seu nome. Astrid Fontenelle se emocionou ao falar do filho adotivo, Fafá de Belém ao falar da morte do seu pai e Bárbara Evans ao comentar sobre a sua intensa relação com a sua mãe Monique.

Para encerrar, dois medalhões da televisão brasileira: Gugu Liberato e a eterna Hebe Camargo. Gugu deixou a sua opinião sobre a crítica: "Aqueles que criticam, mas que têm história na televisão, por exemplo o Boni que tem uma experiência extraordinária na televisão e sabe quão difícil é acertar na TV aberta, tudo bem. Agora, quando a crítica vem de gente que não tem a menor experiência, não sabe nem o que está escrevendo, para te falar e verdade, aí é melhor a gente ignorar", disse Gugu.

Já a diva Hebe Camargo, que esteve no programa de estreia do "Roberto Justus +", falou com aquele seu jeito tão conhecido da gente: "Eu tenho uma intimidade com o público, isso eu sei. Porque eu falo o que eu bem entendo, eu as vezes até passo do limite porque eu sou autêntica!", declarou a grande apresentadora. "Eu sou exatamente o que eu sou aqui, eu sou fora. Eu sou assim, eu não sei mentir! Tanto, Roberto, que eu não gosto que levem pessoas que eu não gosto no meu programa para eu entrevistar. Porque eu não sei fingir!", concluiu.

"Mas tem muita gente que você não gosta, Hebe?', perguntou Justus. "Tem, claro que tem. Como tem muita gente que não gosta de mim!", respondeu a rainha da televisão. "Pouca gente, Hebe, pouca gente!", replicou o apresentador. "Na missa de sétimo dia dela eu chorei como se fosse a minha mãe", contou Roberto Justus.
Tecnologia do Blogger.