Header Ads

Em biografia, Daniel revela: "eu era louco pela Eliana"

NT


Lançado na noite da última quarta-feira (18), o livro "Daniel: Minha Estrada", que conta a vida do cantor Daniel, ressalta seu lado pessoal e artístico, além de declarações reveladoras, como o relacionamento que ele teve com Suzana Alves, a Tiazinha.

Na biografia, Daniel também fala sobre a apresentadora Eliana, do SBT.


O cantor afirma que ficou interessado por ela, mas que eles nunca tiveram nada: "Pouca gente sabe, mas eu e ela trabalhamos juntos na época em que eu e o João Paulo fazíamos o show de abertura da banda A Patotinha, da qual ela fazia parte e que também era empresariada pelo Hamilton. E menos gente ainda sabe que eu era louco pela Eliana, tinha uma quedinha por ela. Na verdade, uma quedona. A Eliana era especial. Mas a gente nunca chegou a ter nada. Sempre bateu na trave. Hoje, cada um leva a sua vida, e continuamos muito amigos. Vivemos uma história de trabalho juntos, passamos por dificuldades parecidas, dificuldades de artista em início de carreira, na estrada, com poucos recursos. Sei o quanto a Eliana batalhou para chegar aonde chegou e por isso tenho um imenso carinho por ela".

Segundo Daniel, sua fase "galinha", conforme ele mesmo classificou, começou quando se consolidou como cantor: "Eu fiquei sem chão, perdido, e foi a época em que mais saí com mulheres, acho que, no fundo, era uma fuga".


As cinco maiores polêmicas de Miley Cyrus, que está vindo ao Brasil Em livro, Daniel conta detalhes de relação com a Tiazinha: "foi quente" Sem camisa, Thammy Miranda agarra namorada em foto: "um amor tranquilo"
Tiazinha

No livro, Daniel conta como conheceu Tiazinha: "Era amigo da secretária dela e, durante um encontro numa ponte aérea, pedi para essa amiga entregar um bilhete a Tiazinha. Não lembro exatamente o que eu escrevi, mas provavelmente falei o quanto a achava bonita, interessante e charmosa. E eu achava mesmo. Não era uma cantada barata, para ver no que ia dar".

Depois, os dois começaram a se falar por telefone e combinaram um encontro no Rio de Janeiro: "Eu estava sem carro. Fui aconselhado pela minha equipe a não sair, a não me expor. E a Tiazinha fazendo aquele sucesso todo, podia chamar atenção. Mas eu não podia deixar de vê-la. Arrisquei. Coloquei um boné e peguei um táxi. Normalmente, sento no banco da frente, mas dessa vez fui atrás, tinha que tomar todo o cuidado possível. Passei no hotel de Suzana, e ela entrou no banco de trás. O motorista do táxi nem percebeu nada. Fomos direto para o meu hotel".
Daniel termina o relato dizendo que sente um carinho muito grande por Suzana até hoje e que fica feliz com os rumos que sua vida tomou.
Tecnologia do Blogger.