Header Ads

Patrícia Poeta vai ficar mais de um ano na 'geladeira'

Ricardo Feltrin

Independentemente das diferentes teses, apostas, teorias sobre os motivos que levaram à anunciada saída de Patrícia Poeta do "Jornal Nacional" (Globo) após apenas três anos no cargo, a mudança revela mais uma vez que há uma guerra permanente de poder no Jornalismo da emissora, que já dura anos.

Os protagonistas da batalha, segundo o F5 apurou, são o todo-poderoso do departamento, Ali Kamel, e o diretor de Programação da casa, Amauri Soares —marido de Poeta e responsável por trazê-la do Sul para São Paulo no passado.

AH, VÁ!

É óbvio que a Globo sempre desmentiu e desmentirá qualquer desentendimento dentro de sua cúpula, mas quem acompanha os bastidores da emissora sabe que há uma constante rixa entre Kamel e Soares. Não deixa de ser normal uma luta por poder em qualquer empresa, mas na Globo a coisa toma dimensões sempre épicas.

BATALHAS

Diferentemente do que se propagou, William Bonner teve pouca influência na decisão. Kamel é que foi determinante para a saída de Poeta. Indiretamente foram dados os mais diversos argumentos para a decisão, como pesquisas de opinião, queda de audiência (cerca de 25%) desde que ela assumiu o lugar de Fátima Bernardes, eventuais gafes e outros que tais. Alguns "comentaristas" de internet chegaram a ventilar que ela estava sendo removida "por ser bonita demais", o que tirava atenção do telespectador da notícia e gerava ciúme em telespectadoras casadas. Faz-me rir.

QUALQUER LÍNGUA

O problema é que essas chamadas "pesquisas qualitativas" podem ser lidas das mais diversas formas. Por exemplo, há um público do "JN" que já se cansou de Bonner há anos; outro segmento defende que o telejornal outrora "mais importante do país" deveria ser ancorado por duas mulheres. Já outros grupos gostariam de um revezamento diário de apresentadores (coisa que Silvio Santos já admitiu estudar para o futuro, no SBT).

BRAÇO DE FERRO

Acontece que Soares, digamos, não foi um dos primeiros a saber que a mulher seria tirada da bancada do "JN". Recebeu muito mal a notícia. Os eternos "comunicados oficiais" da Globo, de que tudo estava previsto, que toooooodo mundo já sabia há dois séculos e meio que as trocas seriam feitas, que até os seres inorgânicos dos 47 demais mundos paralelos já haviam sido informados que Poliana Abritta iria para o "Fantástico" no lugar de Renata Vasconcellos e que esta, por sua vez, iria para o posto de Poeta são peças tão ficcionais quanto as novelas do Aguinaldo Silva.

CABE LEMBRAR

Que Amauri Soares desperta ciúme há anos dentro da Globo é fato. Primeiro, por causa de sua ascensão considerada "meteórica demais". É sempre apontado como um arrivista convicto. Depois, porque pediu o boné da Globo em certa ocasião, mudou para o SBT e criou o "Aqui Agora" –único produto jornalístico concorrente que de fato assustou e afetou a audiência da Globo até hoje. Seis meses depois de entrar no ar o "AA", a Globo correu atrás para trazer Soares de volta. Kamel nunca teve esses rompantes. Sua carreira foi degrau a degrau.

TROCO

Cerca de três anos atrás, com a decisão pessoal de Fátima Bernardes deixar o "JN", Amauri teve um momento de novo embate profissional com seu "rival" e, sabe-se lá o porquê, acabou vencendo. Kamel já estudava Vasconcellos na bancada, mas acabou prevalecendo Poeta. Para azar dela ou pura coincidência, como queiram, sua entrada coincidiu com um novo período de queda de ibope no telejornal. Portanto Kamel nem precisou fazer nenhum "jogo" contra a âncora. O clima nos corredores é bem tenso. Ou mais tenso que o normal.

E DIGO MAIS

Até o momento em que vocês, leitores queridos, estão lendo esta coluninha, não existe absolutamente NENHUM projeto de novo programa para Patrícia Poeta na Globo, nem em entretenimento, nem em dramaturgia (ela já pensou em ser atriz, muuuuito tempo atrás) tampouco em jornalismo. Portanto, ela vai para a geladeira por pelo menos um ano ou mais. Se for buscar a versão oficial, a informação será que se trata-se de um período de descanso pessoal e/ou uma medida para "dar um tempo" à imagem da ex-âncora.

O OUTRO LADO

Lemos sua coluna "Patricia Poeta vai ficar mais de uma ano na geladeira". Em dado momento, você, diante de algumas especulações, diz: "Faz-me rir". Em outro, você diz que as explicações da TV Globo são "peças tão ficcionais quanto as novelas do Aguinaldo Silva." Apesar do respeito que temos por seu trabalho (respeito que você não teve conosco), fazemos nossas essas mesmas palavras para descrever a reação que tivemos ao ler a sua coluna e nossa avaliação sobre ela.

Não há nem nunca houve rixas ou guerra permanente de poder entre nós. Nem hoje, nem no passado. Nós três sabemos a admiração mútua que temos uns em relação aos outros. Admiração antiga. Compreendemos perfeitamente que teorias conspiratórias alimentem setores da imprensa. Mas nos causa surpresa que sua coluna tenha aderido a esse tipo de versões. A verdade sobre a troca de apresentadoras é aquela que consta do nosso comunicado à imprensa, transparente em tudo.

A TV Globo é uma casa que preza como poucas o jornalismo. E, por isso, sabe que a verdade sempre acaba prevalecendo. Porque jornalistas profissionais são aqueles que buscam os fatos, e sempre acabam por encontrá-los. Por esse motivo, a TV Globo conta a verdade, não inventa razões para justificar as suas decisões.

Nossa crença não mudou: a verdade, para a maior parte do público, graças ao trabalho da imprensa, já se estabeleceu. E se estabelecerá definitivamente em pouco tempo quando aqueles que ainda insistem em elucubrar passem a se dedicar ao que sabem fazer: apurar a verdade dos fatos. E a verdade é aquela que consta do comunicado sobre as mudanças.

Por último, nada nos impedirá de tentar restabelecer a verdade. Nem mesmo a sua frase, segundo a qual "é óbvio que a Globo sempre desmentiu e desmentirá qualquer desentendimento dentro de sua cúpula". É uma vacina que jornalista nenhum deveria usar. Quer impedir, de antemão, que pessoas de bem deem o seu testemunho honesto e sincero. É o que fazemos agora. Simplesmente porque, nesses anos todos, aprendemos a respeitar o público.

Rio, 19 de setembro de 2014,
Ali Kamel, Amauri Soares e Patricia Poeta

NOME AO BOI

Independentemente da rinha de egos e de poder na Globo, poucos lembram que um dos cargos mais poderosos e longevos da casa é ocupado pela mesma pessoa há um quarto de século: Mariozinho Rocha, 65, desde 1989 diretor musical, é praticamente um intocável. É ele que decide qual vai ser a próxima modinha de verão, que estilo vai sumir da programação por três anos, quando o sertanOjo universitário deve voltar à novela das 21h30, qual a última melhor cantora da última quinzena (por que o Brasil produz essa overdose de cantoras, meu Deus?!) e todas aquelas musiquinhas insuportáveis que você ouve uma vez e não se livra mais dela. Grosso modo, o responsável pela trilha das novelas da Globo poderia ser comparado a um criador de bactérias nas quais só ele tem o poder de decidir quando aplicar um antibiótico.

PEGA! PEGA!

É Mariozinho, por exemplo, o "culpado" por coisas como Anitta, Naldo, Belo e outros "monstros sagrados" da Música Popular Brasileira.

OBA! RANKING DAS RÁDIOS

Mais uma vez esta coluna traz com exclusividade o ranking das rádios AM e FM mais ouvidas em São Paulo no último trimestre (junho/julho/agosto). Continua feia a briga pela liderança na FM, mas a Band continua na pole. Nativa e Transcontinental continuam encarniçada disputa pela vice-liderança. A diferença entre as duas é de pouco mais de 2.000 ouvintes por minuto –um número residual.

ENQUANTO ISSO, EM AM

No mundo das ondas médias não há grandes novidades: Globo continua em primeiro, Capital em segundo e Band em terceiro. Ou seja, se no mundo da TV a Globo é líder inconteste, no mundo dos rádios a Band é uma das superpotências. Vejam os rankings:

TOP 10 RÁDIOS FM TOP 10 RÁDIOS AM
1º Band 1º Globo
2º NativaFM 2º Capital
3º Transcontinental 3º Bandeirantes
4º Top FM 4º Jovem Pan AM
5º Gazeta FM 5º Record AM
6º Vida FM 6º 9 de Julho
7º AlphaFM 7º Imaculada Conceição
8º 105FM 8º CBN
9º MixFM 9º Terra AM
10º Metropolitana 10º Super Rádio
MENOS IMPACTO

Depois de causar comoção, atrair multidões, juntar filas de espera e até de uma "miguelagem" de credenciais para a imprensa, o faraônico Templo de Salomão, da Igreja Universal, já não causa mais tanto burburinho. Não é preciso mais ligar para unidades da Universal, fazer ficha, esperar a boa vontade de um pastor e só então pegar crachá. Qualquer um que chega ao local já consegue entrar, a qualquer hora do dia.

MENOS, MENOS

Falando em Universal, ainda que seja louvável o trabalho do bispo Rogério Formigoni no combate ao uso de drogas, ele devia "maneirar" no exagero em suas aparições na TV —tanto na Record como no canal 21. Primeiro, pelo fato de o bispo exibir com profusão depoimentos do tipo "Oi, meu nome é Fulano, eu usei crack por 25 anos e estou há três dias curado". Qualquer leigo sabe que isso não existe. Ninguém se "cura" do crack após três dias sem usá-lo. Conversa mole total.

NEM O SUPER HOMEM

Formigoni também deveria reduzir a dramaticidade de sua própria experiência com as drogas, para sua própria credibilidade. Outro dia, olhos (sempre) marejados, testemunhou na TV:

"Eu era viciado. Eu me curei. Eu consegui. Eu sou a prova que é possível. Eu usava álcool, maconha, cigarro, LSD, cocaína e fumava CEM PEDRAS de crack NUMA NOITE!!!!!"

GENTE...

Qualquer ser humano comum já teria batido as botas após o terceiro item da lista. Esticado os cambitos. Batido a pacuera. Abotoado o paletó. Dado à lonca. Visto a grama nascer por baixo. Virado a curva do rio. Defuntado. Pedido o boné. Partido desta para a melhor. Engantrambelhado o torniquete...

TÁ BOM, TÁ BOM

Engantrambelhado o torniquete fui eu que inventei, mas o resto está no Aurélio!

SOOOOOOOOOBE E DEEEEEEEEESCE

Canal Bio

Excelente a programação desse canal da TV por assinatura. Como a gente sempre diz aqui, é daqueles raros canais que faz valer a fatura mensal da operadora. Há uma variedade imensa de documentários, filmes e seriados de alta qualidade, e para todos os gostos. Artistas da música, cinema, TV e até figuras da internet têm espaço na programação. De negativo, só os insuportavelmente frequentes intervalos, o que torna o Bio quase tão irritante e indigesto quanto o Comedy Central. Você começa a se interessar pelo programa e pimba! Lá vem intervalo. Exasperante.

SOOOOOOOOOBE E DEEEEEEEEESCE

Canal +Globosat

Fantástico e literalmente viciante o seriado sobre Pablo Escobar, que tem sido exibido pelo +Globosat. Lembra uma novela de alto padrão. Há outras preciosidades na programação do canal, como a ótima Sessão Philos e os muitos países "vistos de cima". De negativo, a overdose de exibição da série "Nosotros" e o fakíssimo "Oficina Motor" –um programa visivelmente patrocinado que finge ter imparcialidade na avaliação de carros. No máximo, os apresentadores acham um defeitinho ("bem, o volante não é muito liso"), para cada 2.786.391 qualidades dos veículos avaliados.

SOOOOOOOOOBE!

Programa do Jô

O gordo voltou da temporada no hospital uma verdadeira navalha de humor. Quem acompanha sua carreira vê que ele está em um de seus melhores momentos como entrevistador. As recentes visitas de Claudia Leitte, padre Piriquito e os incríveis conhecimentos do entrevistador roliço sobre esportes olímpicos foram de perder o sono. Há anos muita gente diz que Jô não sabe entrevistar, que não deixa os convidados falarem etc. Só que o que pouca gente percebe é que muitos convidados simplesmente "travam" diante da câmera. E cabe a ele contornar o problema e deixar a visita confortável e o programa bom como é. A verdade é que Jô é um dos poucos programas realmente valiosos da TV aberta atual.
Tecnologia do Blogger.