Header Ads

Sandra Annenberg fala sobre virar meme nas redes sociais: "É esquisito"

Caras

Sandra Annenberg falou sobre o fato de virar meme nas redes sociais na manhã desta quarta-feira, 1, durante participação no Mais Você, na Globo.

A jornalista relembrou o falso tombo para divulgar um programa sobre dublês no Como Será? e o nascimento da frase "Que deselegante" durante o Jornal Hoje.

"Virei um meme. É esquisito virar um meme. Na hora que você descontextualiza, a coisa toma outra proporção. E é assustador. Somos do tempo que não tinha internet, nem telefone, nem CD, nem DVD. É tudo muito rápido. Hoje em dia, nas redes sociais, qualquer coisa que fale ou pense, vai pra lá. Você nem imaginava que pensava aquilo, o que é pior. É assustador como as pessoas se apoderam da vida alheia. Desenvolvi uma teoria sobre isso depois deste caso, de que as pessoas adoram ver o tombo alheio. O tombo alheio faz um sucesso", contou Sandra sobre o vídeo do falso tombo.

Sandra também contou sobre o surgimento da frase "que deselegante" durante a apresentação do Jornal Hoje, em 2011.

"Pegou muito o vídeo do 'deselegante'. Neste momento, vamos contextualizar, a Monalisa Perrone estava em frente ao hospital Sírio Libanes. Era a primeira sessão de quimioterapia do presidente Lula. Estávamos ao vivo com uma notícia importante. Aí ela foi empurrada pelos vândalos, foi horrível. Não sabíamos se ela havia se machucado, mas depois fez exame de corpo de delito, foi para a delegacia. Eles queriam aparecer, causar, chamar a atenção. Ela ficou trêmula. Neste momento, passa tudo pela sua cabeça. Em frações de segundo passa coisas pela sua cabeça. O que queria falar, não podia. Queria ser elegante com os nossos telespectadores. A única coisa que consegui falar foi o 'deselegante'. Não era exatamente o termo, mas não tinha outra coisa", explicou.

A jornalista também relembrou a época de atriz na emissora e a mudança para o jornalismo. "Comecei na Globo como atriz. Fiz faculdade na USP e depois fui chamada para atuar no jornalismo", contou sobre o início de sua profissão na TV. "Fui a primeira mulher a fazer a previsão do tempo no Jornal Nacional, no final da década de 80. Era a moça do tempo na época, a primeira mulher fixa do programa ao lado do Cid Moreira e Sérgio Chapelin", disse.

Reservada na vida particular, ela falou sobre o casamento de mais de vinte anos com o jornalista Ernesto Paglia e a relação com a filha, Elisa, de onze anos. "É uma delícia ser mãe, uma surpresa todo dia. Eu não cozinho nada. Ela adora cozinhar, puxou o pai. A vida é corrida, mas a gente se vê bastante. O Ernesto viaja bastante, mas quando volta ele fica. É paizão, participa de tudo, nos revezamos para levar a Elisa para a escola", disse Sandra.

"Sou o fã número um da Sandra e um homem de muita sorte. Tenho muito orgulho dela", disse Ernesto em uma gravação especial para o Mais Você.
Tecnologia do Blogger.